Escoamento por ferrovia quase dobra em Paranaguá

0
322
views

O escoamento de soja e farelo no Porto de Paranaguá atingiu 182% entre os meses de janeiro a agosto de 2017, quase o dobro atingido no mesmo período do ano passado. Ao todo, foram descarregadas 206.635 toneladas de grãos por trem, contra 73.260 toneladas trazidas no ano passado.

De acordo com o governo do Paraná, no mês de julho chegaram ao corredor de exportação 1.760 vagões, contendo 55 toneladas cada um, o que totaliza 96,8 mil toneladas.

Estes números representam um aumento de 6.940% no comparativo com o mês de julho de 2016, quando foram descarregados apenas 20 vagões pelo modal ferroviário, contendo 1,1 mil toneladas.

“As ferrovias são estratégicas para o escoamento da produção agrícola do Paraná e de outros estados que exportam grãos pelo terminal portuário paranaense”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Já o Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) recebeu, entre os meses de janeiro e julho de 2017, 24.334 TEUs por ferrovia.

Existe uma nova dinâmica na programação de descarga no Corredor de Exportação e no TCP, que visa um maior uso do modal ferroviário, ao invés do rodoviário.

“Investimentos que totalizam mais de R$600 milhões e incluem a compra de equipamentos como os novos tombadores de caminhões, nos permitiram mudar a dinâmica de recebimento de cargas pelo modal ferroviário, apostando cada vez mais na intermodalidade”, disse o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.

Para o presidente da empresa, João Vicente Bresolin Araujo, além disso, o aumento da capacidade de recebimento de vagões demonstra que o Porto de Paranaguá está preparado para receber carga do projeto de expansão da ferrovia entre Cascavel e Dourados, no Mato Grosso do Sul, assim como a construção do novo trecho entre Guarapuava e Paranaguá.

Também está em discussão uma possível privatização das operações da Ferroeste, o que permitiria maiores investimentos do modal ferroviário no estado, além de conquistar uma maior fatia do mercado.

Araújo ainda diz que o porto de Paranaguá recebe 9 milhões de toneladas de grãos pela ferrovia todos os anos, porém é possível escoar muito mais.

“O Porto de Paranaguá movimenta anualmente 45 milhões de toneladas de produtos por ano, sendo que apenas 20% deste total chega por ferrovia. O Porto de Santos, por exemplo, recebe 40% da sua carga por vagões”, explica Araujo. Segundo ele, este índice de 20% de cargas transportadas por vagões tem se mantido nos últimos anos e comprova o limite das ferrovias no Paraná.